Logo
Opinião

OPINIÃO: Ter um plano B salva vidas

18 Julho, 2023 | 10:25
Partilhar
Andreia Gomes
3 min. leitura

Conservar ou não conservar é a dúvida que paira entre os pais que são confrontados com as potencialidades clínicas das células estaminais do sangue do cordão umbilical.

Entre argumentos como a possibilidade de tratar mais de 80 tipos de doenças e de terem sido realizados mais de 60 mil transplantes ao longo de três décadas, compensa examinar o percurso e vantagens de se começar a traçar um plano B na saúde, logo ao nascimento.

O primeiro grande marco da história da criopreservação das células estaminais data o ano de 1988, quando foi realizado o primeiro transplante de sangue do cordão umbilical, no Hospital Saint-Louis, em Paris. Este transplante foi realizado numa criança de cinco anos, Mattew Farrow, portador de Anemia de Fanconi, uma doença hematológica rara que leva à insuficiência da medulo óssea e, portanto, com uma elevada taxa de mortalidade.

Atualmente, já adulto, o paciente encontra-se totalmente curado, mas sem o sangue do cordão umbilical da sua irmã a história teria tido outro desfecho. Em Portugal, só se começa a encarar esta hipótese já perto da mudança do século, quando é realizado o primeiro transplante, em 1994, no IPO de Lisboa, mas desde aí os resultados de sucesso não têm parado.

O transplante de sangue do cordão umbilical apresenta características 100% de compatibilidade com a própria pessoa e com os irmãos apresenta 75% de hipótese de ter algum tipo de compatibilidade (25% de compatibilidade total e 50% de compatibilidade parcial).

Assim, as células estaminais do sangue do cordão umbilical, quando conservadas, podem tratar doenças como leucemias, linfomas, anemias, doenças hereditárias do sistema imunitário, doenças metabólicas hereditárias e oncológicas. Apresentam ainda resultados no âmbito da Medicina Regenerativa, em condições do foro cardíaco, Alzheimer e Parkinson.

Existem sempre novos casos de sucessos a surgirem, mesmo em adultos. Como por exemplo, o caso anunciado pela Organização Mundial de Saúde como “Primeiro caso de cura de VIH após transplante de células estaminais.” Este ano foi divulgado que uma mulher de meia-idade de ascendência mestiça desenvolveu Leucemia Mieloide Aguda de alto risco após 4 anos de ter sido diagnosticada com sida.

Em 2017, foi realizado um transplante de células estaminais do cordão umbilical que apresentavam uma mutação que confere resistência ao vírus da sida. Este transplante foi complementado com a doação de medula óssea de um parente adulto. Após 100 dias do transplante, esta paciente não apresentava HIV detetável e após 37 meses do transplante, a paciente interrompeu a terapia. Desta forma, podemos ver que o sangue do cordão umbilical pode também ser aplicado em combinação com outros transplantes e terapias como neste caso. É de facto importante sublinhar, que neste caso, foi pela particularidade de as células estaminais do cordão umbilical não necessitarem de compatibilidade rigorosa e apresentarem resistência ao HIV que esta a paciente teve a hipótese de ser curada da leucemia e sida.

No entanto, a lista de terapias não termina por aqui e adiciona-se ainda o facto de o tempo não ser um fator de risco, já que existe uma disponibilidade imediata para recorrer às amostras de sangue e tecido. Destaca-se que tanto para a mãe como para o filho, a colheita é não invasiva e indolor e segura, além de que a recuperação pós-transplante tem um bom prognóstico, especialmente nas terapias com o próprio sangue, onde não existe qualquer perigo.

Este é o caso de Salvador, um menino autista português com seis anos, que fez um tratamento inovador, através de um procedimento com as suas células estaminais. A sua mãe, Liane Paixão, refere que, apesar dos resultados serem só visíveis após seis meses a um ano, ao fim de cerca de dois a três meses começou a notar melhoria dos sintomas de hiperatividade e que, entretanto, começou a falar.

Por este motivo, importa refletir que prevenir é melhor que remediar, quando falamos do nosso bem-estar e da nossa família. Nunca se sabe quando os problemas de saúde vão bater à porta e nem sempre os tratamentos convencionais são suficientes. Guardar ou não guardar o sangue do cordão umbilical? A resposta está a cargo de cada mãe e pai, contudo, é impossível ignorar os benefícios desta alternativa.

Andreia Gomes, Diretora Técnica e de Investigação e Desenvolvimento e Inovação da BebéVida.

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Regional 23 Maio, 2024

Séniores valencianos visitam Barcelos

Cerca de quatro centenas de valencianos participaram na primeira parte do Passeio Sénior Anual, organizado pelo Município de Valença, visitando a cidade de Barcelos.

Regional 23 Maio, 2024

II Ciclo de Concertos de Órgão de Ponte de Lima de 26 de maio a 30 de junho

O Município de Ponte de Lima em conjunto com a Associação Organum e o apoio do Secretariado de Liturgia da Diocese de Viana do Castelo promovem o II Ciclo de Concertos de Órgão de Ponte de Lima, entre os dias 26 de maio e 30 de junho de 2024.

Regional 23 Maio, 2024

Colisão entre dois veículos faz seis feridos ligeiros e corta EN13 em Caminha

Uma colisão entre dois veículos ligeiros na freguesia de Moledo e Cristelo, no concelho de Caminha, causou hoje seis feridos ligeiros e obrigou ao corte da circulação rodoviária na Estrada Nacional (EN) 13, disse fonte da Proteção Civil.

Desporto 23 Maio, 2024

Lista de Rui Pedro Silva avança sozinha para eleições do SC Vianense

Rui Pedro Silva será reeleito presidente da direção do Sport Clube Vianense nas eleições marcadas para a próxima sexta-feira, 24 de maio. Em conferencia de imprensa, Luís Louro, presidente da mesa da Assembleia Geral, anunciou que a lista de Rui Pedro será a única que se apresentará a sufrágio.

Regional 23 Maio, 2024

Ponte de Lima promove Jornadas de Cultura Popular com programa diversificado

Nos dias 31 de maio e 1 de junho realiza-se no Centro de Interpretação do Território as Jornadas de Cultura Popular que visam debater e refletir sobre o vasto património cultural, englobando os temas da ruralidade, da tradição, do sagrado e do profano, os modos de vestir, a alimentação e o jogo do pau.

Regional 23 Maio, 2024

Cientista Valenciana inspira jovens alunos

Programa Pedagógico "Cientistas Regressam à Escola", promovida pelo Município de Valença, contou com a participação da jovem cientista valenciana Cláudia Alves.

Nacional 23 Maio, 2024

Ilha Terceira regista sismo de magnitude 2,7 na escala de Richter

Um sismo de magnitude 2,7 na escala de Richter foi registado esta madrugada na Terceira, nos Açores, um evento que se insere na crise sismovulcânica em curso na ilha desde junho de 2022, foi hoje anunciado.