Logo
Regional

CIM estuda solução rodoviária, ferroviária ou mista entre Viana do Castelo e Porto

27 Março, 2024 | 13:47
Partilhar
Viana TV
3 min. leitura

O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho disse hoje que estão a ser estudadas três soluções - rodoviária, ferroviária e mista - para garantir transporte aos utentes que se deslocam diariamente entre Viana do Castelo e o Porto.

Utentes do autocarro Viana do Castelo-Porto alertaram hoje para a ausência de soluções para os 200 euros mensais da deslocação e para uma “equidade tarifária” com o praticado no país, apesar da “disponibilidade” manifestada por várias entidades.

A reivindicação é feita numa carta aberta dirigida aos presidentes das câmaras do Porto e de Viana do Castelo, da Área Metropolitana do Porto (AMP) e da CIM do Alto Minho, a que a Lusa teve acesso.

Os passageiros lembram que na “reunião promovida pelo presidente da Câmara do Porto com o presidente da Câmara de Viana do Castelo”, a 11 de março, “todas as entidades se manifestaram disponíveis para encontrar uma solução que permita a mobilidade em transporte público entre Viana do Castelo e Porto em condições de equidade tarifária com o praticado na generalidade do país”.

“Apesar da urgência da situação, desconhecem-se quaisquer desenvolvimentos até à presente data”, lamentam.

Contactado pela Lusa, o presidente da CIM do Alto Minho, Manoel Batista adiantou que nos últimos 15 dias decorreram três reuniões de trabalho, uma delas com o presidente da CP para estudar a possibilidade de uma ligação ferroviária entre Viana do Castelo e o Porto.

“Tivemos uma reunião de trabalho com o presidente da CP para com ele tentarmos desenhar uma solução, que possa, na íntegra ou em parte, envolver a ferrovia entre Viana do Castelo e o Porto. Em conjunto, estamos a tentar encontrar uma solução boa do ponto de vista prático e do ponto de vista financeiro”, explicou Manoel Batista.

O socialista, que é também presidente da Câmara de Melgaço, acrescentou que a CIM do Alto Minho já manteve duas reuniões, uma com a CIM do Cávado e a AMP, para “desenhar uma solução, caso a ferroviária não seja a mais adequada, que passará por nova carreira entre Viana do Castelo e o Porto”.

“Há uma terceira solução que poderá ser a combinação da ferrovia com a rodovia. Estamos preocupados com as necessidades dos utentes que fazem este trajeto, todos os dias”, apontou.

Manoel Batista alertou não poder “prometer uma solução para ontem”.

“Estes processos levam o seu tempo. Não vou comprometer-me uma data específica. Quero garantir que estamos a trabalhar, enquanto CIM do Alto Minho, afincadamente, para encontrar uma solução adequada às necessidades das pessoas”, frisou.

Apesar de se escusar a apontar um prazo, Manoel Batista estimou que no decurso no primeiro semestre do ano seja possível encontrar uma solução que vá ao encontro das necessidades dos utentes.

A 11 de março, em uma reunião promovida pelo presidente da Câmara do Porto com o presidente da Câmara de Viana do Castelo, “todas as entidades se manifestaram disponíveis para encontrar uma solução que permita a mobilidade em transporte público entre Viana do Castelo e Porto em condições de equidade tarifária com o praticado na generalidade do país”.

Os presidentes das câmaras do Porto e de Viana do Castelo remeteram para a AMP e para a CIM Alto Minho uma solução para o autocarro inter-regional, comprometendo-se a apoiá-la financeiramente.

Em janeiro, os utilizadores do autocarro expresso pela autoestrada A28 entre Viana do Castelo e o Porto, que pagavam 88 euros mensais, passaram a pagar 171,60 euros (22 dias x 2 viagens x 3,90 euros), devido a uma redução do apoio dado pela Câmara de Viana do Castelo.

A 30 de janeiro pediram ajuda ao presidente da Área Metropolitana do Porto (AMP) na implementação de um “passe único”, reivindicado desde 2019.

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Desporto 20 Abril, 2024

Juventude Viana perde na Póvoa de Varzim

A Juventude Viana perdeu (3-2), este sábado na Póvoa de Varzim, em jogo da 22ª jornada do campeonato nacional da 2ª divisão de hóquei em patins. A equipa vianense mantém o 2º lugar da classificação, mas agora com o Clube Desportivo da Póvoa apenas a um ponto.

Desporto 20 Abril, 2024

Rui Pedro Silva recandidata-se à liderança do Sport Clube Vianense

Rui Pedro Silva vai recandidatar-se à liderança do Sport Clube Vianense, nas eleições marcadas para o próximo dia 24 de maio de 2024. O anúncio foi feito na última Assembleia Geral do clube e confirmado à Viana TV,

Regional 20 Abril, 2024

Câmara de Valença com 300 mil euros positivos e execução de 20,5 ME de receita em 2023

A Câmara de Valença terminou 2023 com um resultado líquido positivo próximo dos 300 mil euros e “a maior execução da receita de sempre, no valor de 20,5 milhões de euros”, revelou a autarquia.

Regional 20 Abril, 2024

Viana do Castelo entre os distritos com menor registo de incumprimentos na limpeza de terrenos

Santarém, Castelo Branco, Braga, Coimbra e Aveiro são os distritos onde se registaram mais incumprimento da limpeza de terrenos florestais, entre 2019 e 2023, informou a Guarda Nacional Republicana (GNR).

Desporto 20 Abril, 2024

Voleibol Clube de Viana eliminado da Taça Federação

O Voleibol Clube de Viana perdeu (3-0), esta sexta-feira nos Açores frente à Fonte do Bastardo, o segundo jogo das meias finais da Taça Federação. A equipa vianense que já tinha perdido (1-3) o primeiro jogo em Viana do Castelo acabou eliminada da competição.

Cultura 19 Abril, 2024

Caminha: Exposição “50 anos, 50 autores, 50 obras” inaugura amanhã

A Galeria Guntilanis, em Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, inaugura, este sábado, 20 de abril, pelas 16h00, a exposição "50 anos, 50 autores, 50 obras".

Regional 19 Abril, 2024

Três portugueses suspeitos de integrar rede criminosa espanhola

Três portugueses estão a ser investigados no âmbito do desmantelamento de uma alegada rede criminosa que operava na Galiza e no Norte de Portugal para fornecer lanchas para o narcotráfico, revelou à Lusa fonte da Guardia Civil espanhola.