Logo
Regional

Ligação à atividade equestre pretende criar novas “oportunidades” pelo Alto Minho

24 Fevereiro, 2023 | 15:15
Partilhar
Isabel Marques
2 min. leitura

O município de Viana juntamente com Caminha e Ponte de Lima quer afirmar-se, com o projeto do selo equestre “O seu cavalo é nosso amigo”, o “primeiro território do país amigo do cavalo” através da promoção do turismo equestre. A convicção foi partilhada esta manhã, durante a primeira sessão de informação que decorreu, na Sala Couto Viana, na Biblioteca Municipal de Viana. 

Concretizada no âmbito do projeto Vilas e Aldeias Equestres entre Arga e Lima, cofinanciado pelo Turismo de Portugal, Andreia Amorim Pereira, consultora de Viana do selo equestre, explicou que o Alto Minho tenciona construir numa escala intermunicipal “o primeiro território do país em que a oferta turística direcionada para o turismo do cavalo se encontra devidamente organizada”. “O turismo que queremos promover é distinto. É um turismo alicerçado na conjugação com a natureza”, garantiu. “Na primeira reunião que tivemos com o conselho consultivo deste selo, a Associação Nacional de Turismo Equestre também esteve presente e concordou que a iniciativa é pioneira à escala do país. Referiu até que deveria servir de inspiração e ser replicada noutros territórios que pretendam promover o turismo equestre”, confidenciou Andreia Pereira, adiantando que o selo equestre “é uma forma de certificar que os prestadores de serviço ao turista oferecem as condições ótimas para o receber”. Para isso, “pretendemos que este selo seja o mais inclusivo ao nível de tipologias de entidades que nele possam aderir. Por exemplo, unidades de alojamento, restaurantes, juntas de freguesias ou outras entidades públicas”, exemplificou. 

Andreia Pereira adiantou ainda que o projeto funcionará em rede tendo “cada município direitos administrativos sobre o seu território” e a responsabilidade “de atribuir e monitorizar o selo” às empresas que adiram. “Tudo isto de uma forma simples que é respeitando um conjunto de orientações mínimas que o regulamento do selo providência. Neste caso, o próprio regulamento prevê um conjunto de categorias. Quanto mais critérios o estabelecimento preencher melhor ficará posicionado perante o turismo equestre”, alertou a consultora. 

Entre os requisitos mínimos estão “um alpendre com fixação de argola com o distanciamento de dois metros, um ponto de água disponível, o fornecimento de palha ou em alternativa a indicação de um contacto de quem poderá providenciar esse alimento. E, a presença de um suporte para e com uma mangueira”. 

O processo de adesão é gratuito e deverá ser realizado no site destinoequestre.pt onde será disponibilizado, brevemente, “um regulamento para consulta e um formulário online para que cada entidade possa confirmar se responde ou não à lista de requisitos mínimos para aderir”. Posteriormente, será ainda solicitado o envio “de um conjunto de documentos obrigatórios” e a verificação dos pressupostos “por um representante de entidade gestora”. “Neste momento, vamos sinalizar as intenções de adesão, mas ainda não podemos avançar para a formalização por uma questão legal do regulamento”, adiantou a consultora do selo, confidenciando que há já a meta de atingir os “os 30 aderentes, dos três municípios aderentes, até ao mês de junho” e a expectativa de apresentar “os primeiros casos, em maio”. 

Fabíola Oliveira, vereadora do ambiente da Câmara Municipal de Viana, realçou ainda que a ideia do projeto já “vem de há alguns anos” e que pretende dar ênfase ao garrano. “Nós temos garranos na Serra d’Arga, mas também na serra em Santa Luzia. Aqui a ideia é aproveitar esta valência e trazer esta capacidade para a parte do turismo”, contou. “Cada vez mais temos de potenciar o turismo da natureza e eu penso que esta ligação à atividade equestre é realmente uma oportunidade”, sublinhou Fabíola Oliveira.

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Regional 15 Abril, 2024

Ponte da Barca: Maior Bolo de Mel de Portugal atingiu um novo recorde

O Maior Bolo de Mel de Portugal regressou, este domingo, a Ponte da Barca com 216 metros, tendo alcançado um novo recorde. 

Desporto 15 Abril, 2024

Francisco Campos vence Clássica de Viana e Fábio Costa a Taça de Portugal

O português Francisco Campos (AP Hotels&Resorts-Tavira-Farense) venceu, este domingo, ao sprint a Clássica de Viana em bicicleta, que coroou o compatriota Fábio Costa (ABTF-Feirense) como vencedor da Taça de Portugal.

Regional 15 Abril, 2024

Município de Valença promove ação de fogo controlado em Cerdal

A Câmara Municipal de Valença promoveu uma ação de fogo controlado, nos terrenos baldios de Gondim, em Cerdal, na passada quinta-feira, 11 de abril.

Desporto 14 Abril, 2024

Atlético dos Arcos é o novo Campeão da Associação de Futebol de Viana do Castelo

O Atlético dos Arcos sagrou-se, este domingo, campeão distrital da 1 Divisão da Associação de Futebol de Viana do Castelo. A equipa orientada por Fernando Rego derrotou (3-1) a AD Ponte da Barca e garantiu também o regresso ao Campeonato de Portugal, a duas jornadas do final da prova.

Desporto 14 Abril, 2024

Vianense perde em casa com o Fafe mas continua vivo na Liga 3

A AD Fafe venceu (0-2), no estádio Dr. José de Matos, o SC Vianense, numa das partidas da jornada 8 da fase manutenção da Liga 3, com dois golos de Ivo Braz ainda na primeira parte.

Regional 14 Abril, 2024

Município de Vila Nova de Cerveira aprova apoio de 274 mil euros a associações

A Câmara de Vila Nova de Cerveira aprovou por unanimidade apoios financeiros a 44 associações e coletividades, num investimento a rondar os 274 mil euros, correspondendo a um aumento de 2% face a 2023, revelou, esta sexta-feira, a autarquia.

Regional 14 Abril, 2024

Ponte da Barca pede mais e maior flexibilidade na gestão de fundos para saneamento

O presidente da Câmara de Ponte da Barca reivindicou, esta sexta-feira, ao Governo mais e maior flexibilidade na gestão de fundos comunitários destinados ao ciclo da água, para que os municípios possam investir na rede de saneamento básico.