Logo
Regional

JMJ: Alto Minho e Galiza manifestam ao Governo desagrado por reposição do controlo de fronteiras

22 Maio, 2023 | 15:30
Partilhar
Viana TV
3 min. leitura

O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho manifestou ao ministro da Administração Interna "desagrado e preocupação" pela reposição do controlo de fronteiras durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Em comunicado enviado às redações, a CIM do Alto Minho, que integra os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, adiantou que a exposição entregue, no sábado, a José Luís Carneiro, durante uma deslocação a Viana do Castelo, foi decidida conjuntamente com o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) do Rio Minho.

Com sede em Valença, o AECT Rio Minho foi constituído em 2018 e abrange 26 concelhos: os 10 municípios do distrito de Viana do Castelo que compõe a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho e 16 concelhos galegos da província de Pontevedra, com ligação ao rio Minho.

O ministro José Luís Carneiro deixou a garantia de que “o Governo de Portugal vai clarificar as questões que estão em causa, afirmando ainda que os termos de implementação das medidas de segurança para a JMJ não irão colocar constrangimentos de maior nos territórios de fronteira do Alto Minho, dissipando assim algumas dúvidas sobre a forma de controlo”. José Luís Carneiro deixou ainda a garantia de que “tudo será trabalhado para minimizar ao máximo os impactos nas dinâmicas transfronteiriças”, refere a nota.

A posição conjunta das duas entidades resulta “da decisão tomada na reunião da passada sexta-feira, entre o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e do seu homólogo espanhol, Fernando Grande-Marlaska, onde foram veiculadas, pela comunicação social, medidas de controlo de fronteira que colocariam em causa a dinâmica cultural, social e económica desta região”.

“A confirmar-se, esta medida afetaria a rotina diária de milhares de pessoas que atravessam a fronteira, à qual acresce a dinâmica turística do período em causa, a primeira semana de agosto. Após um período bastante conturbado provocado pela covid-19, durante o qual os territórios transfronteiriços foram duplamente prejudicados com o encerramento de fronteiras, importa para este território que medidas desta índole não se voltem a repetir”, sustenta a CIM do Alto Minho e o AECT do Rio Minho.

Segundo as duas entidades, a possibilidade de reposição do controlo de fronteiras “está a gerar muitas incertezas e dúvidas junto de trabalhadores e de empresários transfronteiriços, uma vez que os governantes português e espanhol não clarificaram como vai ser concretizado o controlo nas fronteiras terrestres, revelando apenas que será idêntico ao de 2017, quando o Papa Francisco visitou Portugal, nos números e nos termos em que as forças de segurança considerarem adequados”.

Segundo a CIM do Alto Minho e o AECT do Rio Minho, “o período em causa, de 1 a 6 de agosto, é marcado por uma grande intensidade turística, propiciada por programações culturais atempadamente realizadas a pensar nos turistas, mas também pelo regresso de milhares de emigrantes que aproveitam as férias de verão para desfrutar na sua terra de origem”.

“A CIM Alto Minho e o AECT do Rio Minho partilham da preocupação já manifestada por alguns concelhos da raia minhota, nomeadamente pela eurocidade Cerveira-Tomiño, que enviou uma carta ao Ministério da Administração Interna de Portugal a expor a preocupação e a solicitar informações efetivas e atempadas”, acrescenta a nota.

As duas entidades frisam que “a fronteira terrestre entre a eurocidade Valença e Tui é a mais movimentada do país, com um volume de circulação diário de 22.000 veículos, sendo que a eventual reposição do controlo de fronteiras, durante a JMJ, causaria um forte transtorno nas dinâmicas comerciais e laborais no contexto transfronteiriço”.

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Regional 24 Fevereiro, 2024

Vila Nova de Cerveira abre novo Centro de Apoio à Integração de Migrantes

A Câmara de Vila Nova de Cerveira abriu no centro de Transportes um novo Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM), que aumentaram nas “freguesias mais próximas da sede do concelho”.

Nacional 24 Fevereiro, 2024

Conselho Nacional da CGTP eleito com 98% dos votos

O Conselho Nacional da CGTP, composto por 147 dirigentes, foi eleito com 98% dos votos, no XV congresso da central sindical, que se realiza na Torre da Marinha, Seixal.

Desporto 24 Fevereiro, 2024

Liga Europa: Sporting reencontra Atalanta, Benfica defronta Rangers

O Sporting reencontra os italianos da Atalanta, que já defrontou na fase de grupos, nos oitavos de final da Liga Europa, e o Benfica defronta o Rangers, assim ditou o sorteio realizado em Nyon, na Suíça.

Música 23 Fevereiro, 2024

Escola do Rock de Paredes de Coura arranca celebração dos 10 anos em Castelo de Paiva

A Escola do Rock de Paredes de Coura promove, este fim de semana, nos dias 24 e 25 de fevereiro,  em Castelo de Paiva, no distrito de Aveiro, uma residência de intercâmbio entre alunos daquela residência intensiva e da academia de música local.

Regional 23 Fevereiro, 2024

Valença reuniu com a GNR local e de Viana para analisar a segurança do concelho

O Município de Valença convocou os destacamentos territoriais de Valença e Viana do Castelo da Guarda Nacional Republicana (GNR) para uma reunião de análise da situação atual da segurança do concelho.

Regional 23 Fevereiro, 2024

Pouca lampreia no Alto Minho vendida a cerca de 100 euros

A Associação Profissional de Pescas do Rio Minho e Mar afirmou hoje que “está a ser um ano complicado” para a pesca da lampreia, que é pouca, sendo vendida, face à elevada procura, entre os 70 a 100 euros.

Nacional 23 Fevereiro, 2024

Cáritas promove semana nacional com peditório e estudo sobre pobreza

A Cáritas Portuguesa assinala a sua semana nacional entre 25 de fevereiro e dia 3 de março, para "dar cara" a todos os que procuram diariamente a ajuda deste organismo, que atende anualmente mais de 120 mil pessoas.