Logo
Nacional

Um quinto dos senhorios não atualizou renda em 6,94% em 2024

2 Abril, 2024 | 19:20
Partilhar
Viana TV
3 min. leitura

Dois em cada 10 proprietários (21,4%) não aumentaram a renda pelo coeficiente de 6,94% permitido este ano por lei e 10% manteve-a por considerar qualquer subida incomportável, segundo um barómetro da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP).

De acordo com a VII edição do barómetro “Confiança dos Proprietários” da ALP, cerca de um terço dos respondentes não aplicou o aumento de 6,94% porque tem contratualizado por mútuo acordo outro coeficiente anual no contrato de arrendamento, enquanto 14% de inquiridos preferiram atualizar a renda noutro valor percentual “por entenderem que o coeficiente apurado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) para 2024 poderia colocar os seus inquilinos em incumprimento”.

“Apesar de permanentemente diabolizados na opinião pública, 10% destes senhorios mantiveram a renda inalterada, por considerarem que qualquer aumento que fosse seria incomportável para os agregados de arrendatários”, enfatiza a associação.

Por sua vez, 9% de respondentes decidiram não fazer qualquer aumento “por terem atualmente um rendimento que lhes permite ter uma vida confortável, sem necessidade de retirar poder de compra aos inquilinos”.

Segundo a ALP, nesta edição do barómetro houve “dois fenómenos que ganharam terreno e revelam falta de confiança no mercado de arrendamento ao longo do ano passado”, atribuída pela associação à “instabilidade provocada pelo pacote ‘Mais Habitação’”: A venda pelos senhorios de casas que tinham no arrendamento e o aumento do incumprimento no pagamento das rendas.

“Praticamente 9% dos respondentes afirmam ter vendido imóveis que estavam afetos ao arrendamento tradicional”, nota, acrescentando que “a estes juntam-se quase 6% de senhorios que revelam ter transferido imóveis que estavam colocados no arrendamento tradicional para o arrendamento de curta duração”, nomeadamente para o alojamento a estudantes ou a profissionais estrangeiros ou nómadas digitais.

A associação refere ainda que metade (50%) dos respondentes apontam o imobiliário e arrendamento como mercados com margens cada vez menos atrativas, enquanto 43% considera que são mercados “burocráticos e difíceis de entender” e 29% indica que é um investimento que exige custos operacionais excessivos.

Ainda assim, para quase um quarto dos respondentes (24%) é um mercado rentável e seguro para investir.

Apesar da reformulação dos programas de arrendamento acessível e da criação de programas como o “Arrendar para Subarrendar”, no âmbito do pacote “Mais Habitação”, as respostas recolhidas pelo barómetro da ALP indicam que apenas 2% dos inquiridos celebraram contratos ao abrigo destes programas.

Do barómetro resulta ainda que quase um quarto dos senhorios (23,6%) reporta casos de incumprimento do pagamento de rendas pelos inquilinos no final do terceiro trimestre deste ano, sendo que 30% têm mais de meio ano de rendas em atraso e 28% de dois a três meses.

Ainda assim, segundo a ALP, menos de metade dos senhorios (48,7%) que regista incumprimento contratual pondera instruir um despejo e, daqueles que não vão recorrer à justiça para reclamar o pagamento, a maior parte (25%) aponta como justificação o facto de ser um processo demorado e com mais custos do que o valor em dívida.

Para 18% dos proprietários, a resolução passa pela via extrajudicial, enquanto 15,6% diz compreender a situação económica e social que atravessam os arrendatários, 17% acredita que a justiça favorece sempre os inquilinos e 4% afirma não ter meios para aceder à justiça.

Questionada sobre qual deve ser a primeira medida a adotar pelo novo Governo, que hoje toma posse, 20% dos proprietários aponta a questão do congelamento das rendas (que afeta os contratos anteriores a 1990) e 15,8% diz que apenas querem ser vistos pelo executivo como “parceiros” e não como “inimigos”.

A promoção de um “choque fiscal”, com uma diminuição considerável da fiscalidade sobre o património imobiliário, é a terceira medida mais reclamada pelos proprietários de imóveis na VII edição do Barómetro da ALP, que recebeu mais de meio milhar de respostas e foi desenvolvida entre 14 e 22 de março.

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Cultura 19 Abril, 2024

Caminha: Exposição “50 anos, 50 autores, 50 obras” inaugura amanhã

A Galeria Guntilanis, em Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, inaugura, este sábado, 20 de abril, pelas 16h00, a exposição "50 anos, 50 autores, 50 obras".

Regional 19 Abril, 2024

Três portugueses suspeitos de integrar rede criminosa espanhola

Três portugueses estão a ser investigados no âmbito do desmantelamento de uma alegada rede criminosa que operava na Galiza e no Norte de Portugal para fornecer lanchas para o narcotráfico, revelou à Lusa fonte da Guardia Civil espanhola.

Regional 19 Abril, 2024

Vila Nova de Cerveira organiza concerto solidário para ajudar o pequeno João

O Pavilhão Multiusos de Vila Nova de Cerveira vai acolher, este sábado, 20 de abril, o concerto solidário “Juntos conquistamos o futuro do João”, que visa angariar fundos para a aquisição de material adaptado à doença genética rara diagnosticada ao João, um menino de 4 anos, de Vila Nova de Cerveira.

Regional 19 Abril, 2024

Acidente de trabalho em armazém de materiais de construção faz um ferido grave

Um homem de 49 anos ficou hoje gravemente ferido ao ficar preso entre um camião e paletes de cimento num armazém de material de construção em São Romão do Neiva, Viana do Castelo, disse fonte da GNR.

Regional 19 Abril, 2024

Caminha: Homem detido por alegado tráfico com laboratório doméstico para preparar droga

Um homem de 35 anos foi detido por alegado tráfico de droga em Caminha, numa operação da GNR que levou à “descoberta de um pequeno laboratório doméstico para a preparação e transformação da substância estupefaciente”, foi hoje revelado.

Regional 19 Abril, 2024

Demonstração de meios da Proteção Civil municipal leva centenas ao Campo d’Agonia

Na manhã desta sexta-feira, o Campo d’Agonia acolheu uma demonstração de meios da Proteção Civil Municipal, numa iniciativa aberta a toda a comunidade que contou com a visita de centenas de alunos das escolas vianenses e utentes de instituições.

Desporto 19 Abril, 2024

Vianense SAD “não apoia qualquer lista” candidata às eleições do Clube

Para terminar de vez com com especulações, a Sport Clube Vianense, Futebol SAD, emitiu um comunicado a descarta o seu apoio a qualquer lista candidata no ato eleitoral do Sport Club Vianense, marcado para o próximo dia 24 de maio de 2024.