Logo
Nacional

Estudo: Sal em excesso pode contribuir para a disfunção cerebral

10 Julho, 2024 | 16:55
Partilhar
Viana TV
2 min. leitura

Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) demonstra que o sal em excesso tem um efeito direto no cérebro, provocando danos significativos nos vasos sanguíneos.

“Encontrámos uma associação entre a elevada ingestão de sal na dieta e a disfunção microvascular cerebral, nomeadamente no mecanismo fisiológico do acoplamento neurovascular, isto é, de articulação entre os neurónios e os vasos sanguíneos, que está prejudicado”, lê-se no resumo do estudo.

O consumo de sal em excesso pode provocar hipertensão arterial, um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC).

Este estudo, liderado pela investigadora e neurologista Ana Monteiro, demonstra, agora, que o sal em excesso tem um efeito direto no cérebro, provocando danos significativos nos vasos sanguíneos.

As pessoas que comem mais sal têm disfunção dos pequenos vasos cerebrais, independentemente do seu controlo da tensão arterial, o que poderá relacionar-se com problemas cognitivos e aumentar a probabilidade de demência.

A equipa de investigadores avaliou pessoas com hipertensão arterial bem controlada (com valores dentro do normal sob medicação), mas que ainda não tinham sintomas. Além de terem hipertensão arterial, muitos dos doentes estudados tinham também diabetes.

Os doentes, recrutados num hospital da região do Porto, submeteram-se a uma série de exames, designadamente à avaliação da quantidade de sódio ingerida diariamente, da pressão arterial (durante 24 horas) e a provas que avaliam a saúde e funcionamento dos pequenos vasos cerebrais, mais suscetíveis ao dano causado pela tensão elevada.

De acordo com a FMUP, foram ainda realizadas ressonâncias magnéticas para avaliar a presença de lesões cerebrais silenciosas e foi estudado o funcionamento cognitivo, incluindo a atenção, a velocidade de raciocínio e a memória.

Os participantes neste estudo consumiam 12 gramas de sal diariamente, o que é mais do dobro do valor máximo recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que são cinco gramas por dia.

Os resultados indicaram que os doentes que ingeriam mais sal apresentavam menor capacidade de aumentar o fluxo sanguíneo cerebral às zonas do cérebro mais ativas durante uma dada tarefa (neste caso, ao córtex occipital durante uma tarefa visual), indicando maior rigidez das artérias.

Em conclusão, e segundo a equipa de investigadores citada no comunicado, “a maior ingestão de sal está associada a um pior acoplamento neurovascular durante a estimulação visual”.

Por outras palavras, “o sal em excesso torna menos eficaz a comunicação entre neurónios e vasos sanguíneos no cérebro, durante fases de maior necessidade de suprimento vascular aos neurónios responsáveis pela resposta a um estímulo visual”.

Este estudo teve como autores vários investigadores da FMUP e da Northwestern University Feinberg School of Medicine (Chicago, EUA) e faz parte de um trabalho de investigação mais vasto apresentado em maio, no doutoramento em Neurociências realizado por Ana Monteiro, com orientação de Elsa Azevedo (FMUP/ULS São João).

A Blisq Creative é uma agência de comunicação, especialista em planeamento estratégico, marketing digital, design e web. Orientamo-nos pela estratégia e pela criatividade

Programas de Autor

Episódios Recentes Ver Mais

Notícias

Nacional 13 Julho, 2024

Ministra do Trabalho admite mudanças no subsídio de desemprego

A ministra do Trabalho disse no parlamento, que as mudanças que defende são no subsídio social de desemprego, mas admitiu que também mudanças no subsídio de desemprego poderão acontecer após discussão em concertação social.

Música 13 Julho, 2024

Escola do Rock em Paredes de Coura arranca com mais de 40 alunos de todo o país

Mais de 40 'alunos' de vários pontos do país, de norte a sul, e até da vizinha Galiza participam na Escola do Rock, que tem a primeira chamada no próximo domingo, 14 de julho, em Paredes de Coura, e fecha o período letivo na sexta-feira seguinte com o habitual concerto final de apresentação do resultado da residência intensiva.

Opinião 13 Julho, 2024

OPINIÃO: Benefícios, desafios e impacto na vida dos doentes renais

Várias décadas de evolução na hemodiálise proporcionaram uma mudança radical no acesso ao tratamento e várias evoluções técnicas que permitiram um aumento significativo da qualidade dos tratamentos e da qualidade de vida dos doentes renais crónicos com necessidade de tratamento substitutivo renal. Longe vão os tempos em que apenas um grupo selecionado de doentes tinha acesso à diálise e, mesmo esses, tinham uma qualidade de vida bastante sofrível.

Regional 12 Julho, 2024

Melhor festival de cerveja artesanal da Península Ibérica já está a bombar em Caminha

O Artbeerfest Caminha já está a bombar e promete encher o coração da Vila, até domingo, não apenas de saborosas cervejas, mas também de música, dança, cor e alegria.

Nacional 12 Julho, 2024

DECO PROteste insiste na redução do IVA da eletricidade para todos os consumidores

A DECO PROteste considerou insuficiente o alargamento do IVA da eletricidade a 6% a mais famílias, aprovado em junho, e insistiu que aquela taxa deve ser aplicada na luz e no gás para todos os consumidores.

Regional 12 Julho, 2024

Participação prévia na alteração ao Plano de Urbanização da Cidade de Viana do Castelo e ao Plano de Pormenor para a Área Marginal ao Rio Lima até 1 de agosto

Na sequência da decisão da Câmara Municipal de Viana do Castelo, de 14 de maio do presente ano, de iniciar o procedimento de alteração ao Plano de Urbanização da Cidade de Viana do Castelo e ao Plano de Pormenor para a área marginal ao Rio Lima, entre a Ponte Eiffel e a Ponte do IC 1, em Darque, decorrem, entre 12 de julho e 1 de agosto, os períodos de participação prévia.

Regional 11 Julho, 2024

Notícias de Viana apresenta nova imagem e linha editorial

O jornal Notícias de Viana, que é propriedade da Diocese de Viana do Castelo, promoveu um evento de lançamento da sua nova imagem e linha editorial. A informar desde 1916, o título passa a ser mensal e pretende também apostar no digital.