Loader VianaTV

Publicidade

3 Agosto, 2019

FESTIVAL PERCURSOS DA MÚSICA DE PONTE DE LIMA – SEIS CONCERTOS PARA ESTE FIM-DE-SEMANA

FESTIVAL PERCURSOS DA MÚSICA DE PONTE DE LIMA – SEIS CONCERTOS PARA ESTE FIM-DE-SEMANA

Publicidade

GRUPO MUSICAL ARCO IRIS_EVENTO

Com seis concertos e mais de duas dezenas de artistas, o terceiro fim-de-semana do Festival Percursos da Música mostra que, em Ponte de Lima, o ritmo não é refém de um único lugar.

O festival com organização do Município Limiano e programação e produção do Teatro Diogo Bernardes inaugura o mês de agosto com um concerto no Largo da Alegria, Além da Ponte, com Álvaro Cortez, na percussão, e Isabel Romero, no piano.

O concerto decorre pelas 22h00 de hoje, 2 agosto. “Híbrido” pretende ser um jogo entre o erudito e o popular, o clássico e o ligeiro, o formal e o informal. Num vaivém constante de influências e cruzamentos, surge uma música inusual, mas atraente. É um produto “misto” que não se compromete com nenhuma categoria.

Ganhando vida num palco pleno de utensílios, aparelhos e de instrumentos musicais, para vários gostos e feitios, o espetáculo promete não ser sóbrio nem muito menos estático.

Já a noite de sábado, 3 agosto é marcada pela atuação de Ana Aroso, em harpa & Isabel Anjo, em saxofone. Às 22h00, no Largo de S. João, a união destes dois instrumentos musicais, vai resultar num dueto inesperado e pouco convencional, onde ambos se fundem vincando a sua distinção. As duas instrumentistas e intérpretes procuram explorar e incentivar a criação de repertório para esta formação original.

O dia 4 Agosto, domingo, é o mais preenchido, com concertos desde as 11h00 da manhã. As arruadas do Quinteto Impossível, vão percorrer a Avenida dos Plátanos e também algumas artérias do Centro Histórico. Pedro Heitor, no saxofone, Octávio Inácio, na guitarra, Pedro Santos Rosa, no saxofone barítono, João Sousa, no clarinete, e João G., na percussão, dão vida a um projeto com influências na música dançável, de vertente acústica.

Avenida dos Plátanos recebe ainda na tarde de domingo (15h00), duas formações de excelência, no contexto do jazz nacional e internacional: Galip “Cale” | Tarde Porta Jazz.

Galip nasce de uma encomenda feita ao vibrafonista Eduardo Cardinho para o 8.º Festival Porta-Jazz, em que teria carta-branca para realizar um concerto com músicos que admirasse.

Desta forma, Cardinho convidou os músicos Portugueses José Pedro Coelho no saxofone tenor, o contrabaixista André Rosinha, o pianista Catalão Xavi Torres e o baterista Holandês Jamie Peet.

A formação para Ponte de Lima é constituída por Eduardo Cardinho, no vibrafone, Zé Pedro Coelho, no saxofone tenor, Óscar Marcelino da Graça, no piano, André Rosinha, no contrabaixo, e Jamie Peet, na percussão.

A tarde prolonga-se na Avenida dos Plátanos, com Jeffery Davis Quinteto, e o álbum “For Mad People Only”, o mais recente da formação, apresentado apenas em meados do passado mês de Junho. Assim às 16h30, atuam Jeffery Davis, no vibrafone, João Mortágua, no saxofone alto, Óscar Marcelino da Graça, no piano, Francisco Brito, no contrabaixo, e Marcos Cavaleiro, na bateria.

Desta vez já no Largo da Alegria (Além da Ponte), às 22h00Mario Lucio e Simentera, fecham a noite de domingo. Simentera de volta aos palcos, soa a milagre. Originários das ilhas de morabeza e surgidos do “quase nada” nos anos 90, cada semente do coletivo “Simentera” é hoje uma das mais bonitas florestas nascidas dos vulcões do Atlântico.

Mario Lucio, o seu grande maestro, nasceu um rapaz que demasiado cedo conheceu a palavra orfandade, mas desenhou o seu próprio destino, e abriu novos caminhos para as indústrias criativas das ilhas. Mais tarde viria a ser Ministro da Cultura do seu país.

Este Festival que, desde 16 de julho, tem vindo a promover a realização de um conjunto de espetáculos musicais gratuitos, celebra a sua 10ª edição, com mais nove concertos até 13 de agosto. Com artistas que são referência da atual música Nacional e Internacional, num leque de estilos, desde a música clássica à erudita, passando por interpretações com base na música contemporânea e no jazz, o Festival convida a rumar a Ponte de Lima.

Autor: Hugo Puga

Comentários

Últimas notícias

Últimos programas

Publicidade

Confiauto_EventoTaQi_Evento Noticia_banner